Voltar

ENTREVISTA

Postado em 09/12/2021 às 15:12:22 imagem noticia ENTREVISTA

O que é livro caixa?

Ane Saraiva: Vamos lá, é um livro que se coloca os gastos do profissional autônomo e as receitas. Assim, no imposto de renda, o profissional autônomo tem mais possibilidades de deduções no Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF).

 Como seria o livro caixa de uma empresa médica?

Ane Saraiva: Neste caso não estamos falando da pessoa jurídica, mas sim da pessoa física, do médico. Exemplo: quando o médico participa de um congresso, ele no IRPF não poderia colocar como gasto de educação, mas ele, fazendo livro caixa, pode. Assim, tem inúmeros gastos.

Qual a importância de se fazer o livro caixa?

Ane Saraiva: Bem, muitos profissionais de saúde, médicos, dentistas, fisioterapeutas, atuam como pessoa física, exemplo, cooperados da Unimed. Se ele quer pagar menos imposto de renda, o livro caixa é uma saída.

Qual a importância do livro caixa na vida destes profissionais?

Ane Saraiva: Pagar menos imposto de renda, o médico principalmente, está sempre na faixa de IMPOSTO DE RENDA - IR mais onerosa, chegando até 27,5%. Se o médico faz livro caixa, vai economizar dinheiro. E o livro caixa, não é preciso ser feito pelo médico, ele apenas irá guardar os recibos. O contador é que faz esse livro caixa.

 

Hoje em dia, os médicos fazem muito livro caixa?

Ane Saraiva: Não, pois eles pensam que precisam de muita organização para fazer o livro caixa

Qual estratégia você acha que deveria ser usada para mudar isso?

Ane Saraiva: Primeiro, informação, o profissional de saúde precisa saber o que ele pode deduzir no imposto de renda. Hoje não dá trabalho armazenar documentos, pois temos sempre o celular na nossa mão, e é possível criar um e-mail para guardar os comprovantes de gastos de forma imediata. Antigamente, o médico precisava ter uma pasta organizada, guardar o documento físico, o que, na rotina do profissional, burocratizava, impedia de usar o livro caixa. Hoje os documentos fiscais podem ser armazenados em meio eletrônico, tendo o mesmo valor probatório do original para fins de prova em procedimentos de fiscalização.

O médico que não entende nada disso deve procurar ajuda de qual profissional? Quando começar? Vale o profissional de saúde no fim de carreira começar?

Ane Saraiva: O contador é o profissional apto a fazer o livro caixa. Mas também é importante ter o auxílio de um advogado tributarista para saber quais despesas podem ser deduzidas, pois como a lei muitas vezes não é clara, o advogado vai orientar com base em outras normas a fim de aproveitar o máximo de gastos possíveis.

O livro caixa é feito todo ano, então qualquer profissional autônomo (aquele que não tem vínculo trabalhista, nem é servidor público) pode fazer, independente de idade, início ou fim da carreira.

O ideal é ser feito mês a mês, contudo, é possível ser feito junto à declaração do imposto de renda anual. Principalmente se o profissional de saúde não tiver emitido recibo para pessoa física. O importante é guardar os comprovantes ao longo do ano.

Como incentivar o médico a fazer o livro caixa?

Ane Saraiva: Com informação, a partir do momento que ele entender a economia que pode ter, e que não é difícil armazenar a documentação de forma eletrônica, ele vai querer fazer.

Como você enxerga o futuro de um profissional que tem este cuidado?

Ane Saraiva: Com dinheiro e tranquilidade, pois mesmo que tenha fiscalização, ele estará com a documentação adequada para não ter que pagar multas.

Fonte: Advogada tributarista, sócia do Giesta, Galvão & Saraiva, Ane Saraiva.


Tâmara Tárcia

Por Tâmara Tárcia

Assessoria de Imprensa (Jornalista) - ASCOM

Voltar

Mais acessadas

Amamentação e Contraste da Ressonânci

21132 visualizações

Postado em 02/08/2017 às 16:08:27

Contrastes e Gravidez

10786 visualizações

Postado em 02/08/2017 às 18:08:27

Estilhaços, corpos estranhos e projéte

8708 visualizações

Postado em 02/08/2017 às 17:08:27

Boletim informativo

Inscreva seu e-mail para receber notificações sobre novas postagens.